10/09/10 |   Biotecnologia e biossegurança

Prosa Rural - "Fim da picada" de Borrachudos

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Setembro/2010 - 2ª semana - Região Centro-Oeste/Sudeste
Dezembro/2010 - 3ª semana - Região Nordeste/Vale do Jequitinhonha

O novo inseticida biológico desenvolvido pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Cenargen/DF) promete dar um fim às picadas de borrachudos que, além de doloridas, podem causar alergias em seres humanos e animais. O produto, denominado "Fim da Picada" é biológico, inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente e capaz de controlar os borrachudos, que são também vetores de doenças. O produto foi desenvolvido em parceria com a empresa do Distrito Federal, Bthek Biotecnologia, e já está em fase de registro, o que significa que deverá chegar ao mercado até o fim deste ano. Este é o tema do Prosa Rural desta semana, que tem a participação da pesquisadora Rose Monnerat e do diretor técnico da Bteck Biotecnologia, Marcelo Soares.

Os borrachudos são insetos de hábitos diurnos que pertencem à Família Simuliidae. São sugadores de sangue e, por isso, podem transmitir doenças para os seres humanos e animais. Algumas espécies desses mosquitos são vetores da oncocercose, uma doença causada por um verme que se desenvolve no sangue do homem, produzindo grandes tumores sob a pele. Quando o verme se localiza nos olhos, causa cegueira parcial ou total. Essa doença ocorre em países da África Central e da América Central, além do Brasil, onde está restrita à Região Amazônica.

Os incômodos causados pelos borrachudos aos seres humanos já são mais do que conhecidos: picadas doloridas que, muitas vezes, resultam em reações alérgicas, gerando muito inchaço e desconforto. O borrachudo ataca qualquer animal de sangue quente e pica a vítima por várias vezes. Dependendo do número e da intensidade das picadas, podem ocorrer irritações locais ou generalizadas, muitas vezes levando à perda de sangue.

Animais de interesse para a pecuária, como bovinos e ovinos, por exemplo, estão entre as vítimas desse mosquito, o que leva à diminuição da produção de carne e leite e, consequentemente, a danos para a pecuária e prejuízos para o desenvolvimento econômico. Segundo a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Rose Monnerat, muitas vezes as picadas causam infecções, fragilizando o animal e possibilitando a entrada de outros microrganismos, como fungos, por exemplo.

O produto contém em sua formulação apenas a bactéria entomopatogênica, ou seja, específica para controlar insetos, denominada Bacillus thuringiensis, o que o torna inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente.

Saiba mais sobre  o "Fim da Picada" no Prosa Rural, programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

 

Região Nordeste/Vale do Jequitinhonha

Região Centro-Oeste/Sudeste

 

Fernanda Diniz
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologias

Contatos para a imprensa

Telefone: (61) 3448-4769

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

2010