Rastreabilidade da carne bovina

Desde a virada do século, a Embrapa trabalha com o tema “Conhecendo a carne que você consome”, coincidindo com a introdução do conceito “rastreabilidade” na bovinocultura brasileira. O objetivo é fazer com que a informação do processo produtivo chegue ao consumidor, para que ele seja capaz de identificar as diferenças no produto final e passe a valorizar aquele que mais lhe agrada.

Desde então, uma série de progressos técnico-científicos foram obtidos. Para as fazendas, estão disponíveis sistemas eletrônicos de identificação animal (bolus, brincos e bottons) e programas computacionais que registram o desempenho zootécnico e as ocorrências sanitárias ao longo da vida do animal. Para os frigoríficos, sistemas de leitura de dispositivos de identificação nos animais e geração de etiquetas para identificação das carcaças, que, posteriormente, podem ser lidas para gerar etiquetas para os cortes, contendo a conexão com as informações dos animais. Para os consumidores, o acesso às informações sobre a rastreabilidade do produto que ele quer adquirir poderá ser feito usando celulares. Algumas iniciativas comerciais já estão disponíveis e o consumidor já consegue saber a fazenda na qual o animal foi criado.

A rastreabilidade dentro das indústrias frigoríficas caminha a passos largos e começa a contribuir para a melhora da cadeia. Afinal, só se pode evoluir quando se conhece o produto gerado ao final do processo.

Tecnologias Embrapa

Dispositivo fixado no lado externo do caminhão de transporte, que facilita a fiscalização dos animais em trânsito, otimiza o tempo de monitorament...


A “Carne Carbono Neutro” (CCN) é uma marca-conceito, parametrizável e auditável, que visa atestar a carne bovina produzida em sistemas de integraç...


A Embrapa Gado de Corte está desenvolvendo um portal, o Centro de Inteligência da Carne (Cicarne), para disponibilizar informações aos agentes da ...

Ações de parceiros

Plataforma de qualidade Carne Bonificada - CNA

Ferramenta que reúne os Programas de Bonificação de Raças, com regras ou requisitos exigidos por mercados consumidores específicos, nacionais e internacionais, que ao serem cumpridas, permitem pagamento diferenciado pelos animais, agregando valor aos produtos gerados. 

Pacto Sinal Verde para Qualidade da Carne 

Compromisso firmado em 2015 numa iniciativa do governo de Mato Grosso do Sul com parceria da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famasul), Associação Brasileira das Indústrias de Exportadoras de Carnes (Abiec), Associação dos Criadores de MS (Acrissul); Novilho Precoce, Embrapa Gado Corte e apoio da JBS. 

Programa Novilho Precoce do Estado de Mato Grosso do Sul

Subprograma de apoio à modernização da criação de bovinos em Mato Grosso do Sul para estimular os produtores rurais do Estado a adotarem modernas técnicas de criação, favorecendo a produção de animais de qualidade de carcaça superior utilizando boas práticas de criação, para o aumento da sustentabilidade ambiental da atividade e para avanços na gestão sanitária do rebanho.

Pantanal sustentável

Associação por pecuaristas do Pantanal para sistematizar sua produção com vistas a atender aos requisitos da Pecurária Orgânica Certificada, agregando à sua atividade os modernos conceitos de qualidade, responsabilidade social, ecológica e desenvolvimento sustentável.

Programa Carne Pampa – Carne Certificada das Raças Hereford e Braford

Carne Pampa® é o programa oficial de qualidade de carne, baseado na seleção zootécnica de bovinos das raças Hereford e Braford, criado em 1998 pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), entidade responsável pela seleção zootécnica de animais. 

Programa Carne Angus Certificada

O Programa Carne Angus Certificada é uma parceria entre a Associação Brasileira de Angus e a indústria frigorífica para produção de carne de alta qualidade. Entre seus objetivos estão a valorização da carne de animais Angus e suas cruzas, o fomento do crescimento.

 

Legislação

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 13 DE JULHO DE 2006

O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições conferidas pelo art. 2º do Decreto nº 5.741, de 30 de março de 2006, ainda o disposto no art. 4º do Regulamento aprovado pelo indigitado Decreto, e considerando a necessidade de estabelecer normas e procedimentos aplicáveis a todas as fases da produção, transformação, distribuição e dos serviços agropecuários, para assegurar a rastreabilidade, a origem e a identidade dos animais, produtos, subprodutos e insumos agropecuários na cadeia produtiva de bovinos e bubalinos, e o que consta do Processo nº 21000.007852/2006-00, resolve: Art. 1º Estabelecer a Norma Operacional do Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (SISBOV), constante do Anexo I, aplicável a todas as fases da produção, transformação, distribuição e dos serviços agropecuários. leia IN completa