Apresentação

Preservando o passado e antecipando
o futuro: 
os saberes tradicionais e as
tecnologias 
de ponta em um só compasso

 

Nos anos 70, a Food and Agriculture Organization (FAO) das Nações Unidas, estimulou o estabelecimento de uma rede mundial de Centros para Conservação de Recursos Genéticos, em regiões consideradas de alta variabilidade genética. Neste contexto, em 22 de novembro de 1974, a Embrapa criou o Centro Nacional de Recursos Genéticos (CENARGEN), que mais recentemente adotou a assinatura síntese Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

Fachada do Prédio de entrada do CenargenA Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia tem atuado fortemente no intercâmbio e quarentena de germoplasma vegetal, garantindo a continuidade dos programas de melhoramento genético da Embrapa, além de prevenir a introdução e dispersão de pragas agrícolas. O material introduzido e coletado no País é classificado e conservado a -20 C, constituindo a Coleção de longo prazo, conhecida como COLBASE, que atualmente possui mais de 100.000 acessos. As ações de conservação se completam com a criopreservação, conservação in vitro, in situ e on farm" de modo a salvaguardar os recursos genéticos e o saber tradicional contido nestes.

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia tem, ao longo dos anos, atuado no cenário nacional e internacional de forma a "Viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação em recursos genéticos para a sustentabilidade da agricultura brasileira", o que tornou a sua missão.

Com o advento das biotecnologias, a geração de conhecimento e tecnologias teve um forte impulso na Unidade, acelerando a agregação de valor aos recursos genéticos. A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia tem gerado conhecimento e patenteado produtos, processos e serviços, baseados em áreas como genômica, proteômica, metabolômica e bioinformática, contribuindo para o desenvolvimento e a sustentabilidade da agricultura nacional, com inovação e competitividade.