Rede de inovação em reprodução animal

Rede de inovação em reprodução animal

01/2009 – Biotecnologia animal, na seleção, multiplicação, segurança biológica, intercâmbio e disseminação de recursos genéticos em diferentes sistemas de produção visando a competitividade da pecuária nacional

Resumo

O projeto visa ordenar de maneira mais eficiente as diferentes ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação, associadas às novas tecnologias de reprodução assistida, incluindo áreas correlatas, envolvendo o germoplasma animal. Desta forma, a proposta busca ampliar atividades desenvolvidas com parceiros de diferentes áreas, explorar melhor aspectos multi-disciplinares e, principalmente, desenvolver estratégias capazes de contribuir para aumentar a competitividade da pecuária brasileira. A proposta inclui as áreas do conhecimento: reprodução, genética, sanidade e nutrição. É composta por 10 projetos componentes, que no seu conjunto abordam os apectos de Pesquisa & Desenvolvimento e Inovação. Os projetos componentes Qualidade de Gametas PC04), Produção de Embriões (PC05), Produção de Clones (PC06) e Produção de Animais Transgênicos (PC07) constituem um Núcleo de Biologia Avançado que esta fortemente associado ao PC Nutrição(PC03) e Segurança sanitária do sêmen, ovócito e embrião (PC02), como "receptor" de informações e como "fornecedor" de conhecimento com os PCs Recursos Genéticos/Melhoramento (PC08) e o Validação de Tecnologias/Produtos (PC09). O PC10 Inovação é o instrumento de articulação da Rede com o setor produtivo e por isso perpassa todos os demais PCs com exceção do PC Gestão, que este sim articula e monitora toda a Rede. Entre todos os PCs existe uma troca de infromações e interdependência técnica, embora aluguns possam fornecer/receber mais do que os outros. A Inovação foca a capacitação de recursos humanos e a inserção das tecnologias geradas/adaptadas nas diversas cadeias produtivas. A criopreservação, as espécies e as ações de biologia molecular são ações transversais. Ações complementares as aqui propostas, poderão ser incluidas a medida que a Rede consiga estabelecer novas parcerias e captar recursos financeiros adicionais.

Caracterização do problema focalizado pelo projeto em rede

Consumidores cada vez mais exigentes e sistemas de produção de carne e leite pressionados por outros segmentos da agropecuária, estabelecem claramente que o desafio da pesquisa está voltado para o aumento da produtividade, redução de custos e melhoria da qualidade dos alimentos.

A produção propriamente dita (ações antes da "porteira") esta alicerçada nos pilares clássicos da produção animal: componente genético, sanitário, nutricional, manejo e reprodução.

O alcance dos pressupostos, qualidade e custos, está diretamente relacionado ao sistema de produção e a adoção de inovações tecnológicas pelo setor produtivo. De uma maneira gera,l os grandes e "megas" empreendimentos voltados para a pecuária demandam e adotam tecnologias de ponta, o mesmo não tem ocorrido entre aqueles de pequena escala de produção, mas importantes na produção total do país.

Dentro deste contexto, a Rede se propõe auxiliar no desenvolvimento de opções tecnológicas que possam atender aos diferentes sistemas de produção nos diferentes ecossistemas do Brasil, sem perder de vista a qualidade do produto e a remuneração do homem do campo.

Como grandes desafios que justificam a proposição da Rede é possível relacionar:

  1. Elaborar um instrumento programático que tenha por fim ordenar de maneira mais eficiente as diferentes ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação, associadas às tecnologias de reprodução assistida e áreas correlatas como genética, sanidade e nutrição;
  2. Fomentar ações que promovam a identificação e a disseminação de material genético superior, e o desenvolvimento de modelos de exploração de leite e carne nos diferentes ecossistemas, com a devida segurança sanitária; 2) desenvolver tecnologias inovadoras capazes de melhorar a competitividade da pecuária brasileira;
  3. Capacitar o país com infra-estrutura laboratorial e de recursos humanos qualificados capazes de responder rapidamente as demandas do mercado;
  4. Nivelar o status tecnológico entre as diferentes espécies de interesse zootécnico (bovinos, ovinos, caprinos, bubalinos, eqüídeos e suínos);
  5. Gerar conhecimentos básicos e em áreas estratégicas relacionadas, que impulsionarão o setor agropecuário, bem como outros setores tais como saúde humana.

O desenvolvimento de várias biotecnologias de reprodução, como inseminação artificial (IA), superovulação (SOV), coleta e transferência de embriões (TE), produção in vitro de embriões (PIV), clonagem por transferência Nuclear (TN) e a transgenia, podem contribuir enormemente com os programas de melhoramento animal (Franco & Melo, 2006).

No que diz respeito às questões sanitárias, embora o foco principal da Rede esteja voltado ao controle de enfermidades nos animais doadores/receptores de embriões e na segurança biológica do sêmen, ovócito e embriões, a possibilidade de produzir animais mais adaptados aos ecossistemas e sistemas de produção, levará a uma diminuição do uso de insumos como rações e medicamentos, contribuindo para a qualidade final do produto.

Os aspectos nutricionais abordados no projeto estão voltados à melhoria da função reprodutiva e a qualidade dos gametas e embriões, o que permite uma maior eficiência no processamento e uso deste material genético.

Trata-se, portanto, de uma rede inédita, criada por vários pesquisadores e instituições realizando ações que vão desde a identificação do material genético e seus cruzamentos ao desenvolvimento de tecnologias de reprodução assistida e sua inserção nos diferentes sistemas de produção, otimizando a infra-estrutura e recursos humanos existentes nas instituições de ensino e pesquisa em âmbito nacional.

Objetivos

  • Estruturar um modelo de gestão adequado a natureza da Rede considerando os aspectos técnico-científicos, financeiros, propriedade intelectual e gestão da informação.
  • Desenvolver e avaliar novas tecnologias para o controle sanitário na produção de sêmen, ovócitos e embriões bovinos e caprinos.
  • Avaliar a influência da nutrição e estado corporal na função reprodutiva e produção de gametas em animais de interesse zootécnico.
  • Identificar os fatores que afetam a obtenção de gametas e desenvolver alternativas tecnológicas que proporcionem aumento na quantidade, na qualidade e na preservação de ovócitos e espermatozóides, a fim de elevar a eficiência de sua utilização nos sistemas de produção, envolvendo diferentes espécies animais de interesse econômico.
  • Identificar os fatores que afetam a eficiência da produção de embriões e criar tecnologias, sistemas e modelos de estudo que proporcionem um aumento na quantidade, qualidade e criotolerância de embriões produzidos in vivo e in vitro.
  • Desenvolver e avaliar estudos e procedimentos de micromanipulação de células e embriões para melhorar a eficiência da clonagem.
  • Desenvolver e avaliar diferentes procedimentos para a produção de células e embriões modificados geneticamente.
  • Utilizar, validar e inferir sobre a eficiência e o impacto de novas tecnologias associadas à reprodução animal em trabalhos que envolvem a identificação, seleção, conservação, disseminação e intercâmbio de recursos genéticos.
  • Avaliar, monitorar e validar tecnologias e produtos desenvolvidos por todos os projetos componentes visando sua inserção nas diversas cadeias produtivas e setores da agropecuária.
  • Promover a capacitação de recursos humanos e transferir as tecnologias geradas, adaptadas e validadas no âmbito da Rede para o setor produtivo.