O diálogo e o estabelecimento de parceria a com setor produtivo ocorre por meio da participação em fóruns de discussão em que a Embrapa dialoga com os representantes diversos elos de diferentes cadeias produtivas, integrando grupos de trabalho, comissões e comitês. 

Linhas de atuação e canais de interlocução:

  • Proposição de políticas públicas e marcos regulatórios
  • Observatório demandas do setor
  • Fundos Privados

 

Exemplo de entidades representativas com as quais a Embrapa mantém diálogo permanente: 

 

Políticas públicas, programas e planos de governo

Nos últimos dez anos, a Empresa forneceu subsídios técnicos que contribuíram para a formulação de políticas públicas, planos e programas de governo tais como o Código Florestal, o Renovabio, a Política Nacional de Agroecologia e Produção Agrícola (Planapo), o Pronasolos, Política Nacional de ILPF, o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) e a Política Nacional de Ovinocaprinocultura, Plano ABC, Fundo Amazônia, Plano Safra da Agricultura Familiar, Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, PPCDAm, Programa Pró-Equidade, Brasil sem Miséria, dentre outros.

Os cientistas devem ser estimulados a participar e contribuir com o processo de elaboração e aprimoramento de política públicas, garantindo que o valor do seu trabalho seja percebido pela sociedade e pelos atores e gestores políticos. Cabe à ciência aproximar-se do ambiente político-institucional e apresentar suas contribuições, pois a relação entre Ciência e Políticas Públicas será cada vez mais indissociável.