Infraestrutura

A Embrapa Suínos e Aves dispõe de uma área de 210 ha de terra com cerca de 51 mil m2 de área construída. A infraestrutura disponível é constituída pelo prédio administrativo, unidades de produção e pesquisa, campos experimentais, dois complexos de laboratórios (Análises Físico-Químicas e Sanidade e Genética Animal), isolamento e necropsia, biotério, incubatório, fábrica de rações, biblioteca, Unidade de produção de aves e ovos SPF e Unidade de produção de suínos SPF, central de coleta de sêmen de suínos, laboratório TEC-DAM (abriga diversas tecnologias para tratamento de animais mortos), estação meteorológica, almoxarifado, refeitório, abatedouro e outras estruturas de apoio. 
 
Também conta com um patrimônio de 5.795 bens móveis e imóveis e capacidade para alojamento de 6 mil suínos e 50 mil aves. A frota tem veículos de carga, de passeio, ônibus e van, além de máquinas agrícolas.
 

Laboratório de Análises Físico-Químicas

O Laboratório de Análises Físico-Químicas (LAFQ) da Embrapa Suínos e Aves tem como objetivo principal a prestação de apoio técnico-científico aos projetos de pesquisa da Unidade através da realização de ensaios e condução de experimentos. Para atender demandas das diversas áreas de pesquisa, o laboratório trabalha atualmente dividido em grandes áreas temáticas:

  • análises e experimentação ambiental (LEAA)
  • bromatologia
  • cromatografia
  • espectrometria NIR
  • minerais
  • solos e fertilizantes
  • tecnologia de carnes

Essas grandes áreas visam atender ensaios de rotina e área de experimentação.

A capacidade técnica do LAFQ tem sido implementada continuamente, observando-se investimentos significativos em modernização da instrumentação analítica e da estrutura laboratorial de apoio.

Principais demandas

Anualmente, são realizados em torno de 100 mil ensaios. Dentre estes, as maiores demandas foram para análises de elementos minerais e nitrogênio (sólidos). Dentre as amostras mais comumente demandadas estavam: solos, lombo suíno, milho em grão, fezes e excretas (suínos e aves), ração (suínos e aves), tecido vegetal, água e ossos de aves (que apesar de não se tratar de demanda rotineira, impactou nos números gerados devido à quantidade de amostras protocoladas).

Observa-se crescimento elevado das análises de composição centesimal e minerais. O aumento nas análises de composição centesimal é atribuído principalmente a crescente demanda de projetos na área de nutrição e metabolismo de suínos e aves (por exemplo, o projeto de nutrição de precisão para suínos e aves) e também pela revitalização da área de espectrometria NIR, que permite predizer diversos parâmetros de composição de rações e ingredientes.

As análises da área de minerais contemplam todas as demandas recebidas pela área (rações, água, dejetos, solos, etc). O aumento das demandas por análises de minerais vai de encontro não só ao aumento nas pesquisas na área de nutrição e metabolismo, mas também demonstra a contribuição dos experimentos e demandas de contratos e parcerias da área ambiental, principalmente amostras de extratos de solos, tecido vegetal, amostras de água, fertilizantes e de experimentos de compostagem.

O laboratório também sempre atendeu demandas de outros setores da Unidade como, por exemplo, análises para monitoramento da Estação de Tratamento de Dejeto de Suínos para fins de licenciamento ambiental das granjas de suínos, análises para fins de controle de qualidade de matérias-primas recebidas pela fábrica de rações, análises de água da Estação de Tratamento de Água, controle da qualidade de água do SPF e granjas, dentre outras.

Análise e Melhoria de Processos

O processo de melhoria contínua tem sido norteado pelos trabalhos da comissão de Análise e Melhoria de Processos (AMP) denominada "Gestão do Laboratório de Análises Físico-Químicas da Embrapa Suínos e Aves", os quais estão alinhados com os requisitos do Sistema de Gestão da Qualidade. O objetivo principal da comissão é identificar problemas e propor soluções para potencializar a capacidade de resposta do setor.

Neste período, as ações priorizadas envolveram o desenvolvimento de ferramentas de gestão, o desenvolvimento do software de gerenciamento de laboratório (SGL), a continuidade da adequação dos procedimentos às normas de qualidade (BPL, NBR ISO 9001 e NBR ISO/IEC 17025), a modernização e manutenção da estrutura do laboratório, a ampliação de áreas anexas, a adequação ao programa 10S da Embrapa Suínos e Aves e capacitação dos colaboradores.

O novo Sistema de Gerenciamento do Laboratório via Web foi instalado e implementado a partir de 2012 para permitir maior agilidade na geração das planilhas de análise, digitação dos resultados, geração de laudos de análise e gerenciamento de relatórios analíticos e gerenciais, bem como maior rastreabilidade das informações.

Laboratório de Sanidade e Genética Animal

O Laboratório de Sanidade e Genética Animal da Embrapa Suínos e Aves (LSGA) foi construído com o objetivo de realizar pesquisas nas áreas de sanidade e genética de suínos e aves. Os projetos de pesquisas envolvem inúmeros ensaios laboratoriais que são padronizados, validados e utilizados para atingir as metas propostas. As metodologias são desenvolvidas ou adaptadas no laboratório, utilizadas nos projetos de pesquisa, e quando pertinentes incorporadas à rotina de trabalho e/ou disponibilizadas para clientes ou parceiros de pesquisa. Sendo assim, o LSGA se caracteriza como um laboratório de pesquisa e desenvolvimento.

O LSGA foi criado em 1982, com 1.108m2 de área construída. Em 2007, foi reformado e ampliado para 1.188m2 com a construção de um laboratório de biossegurança nível 3 (NB3) (em fase de certificação) que possibilitará a realização de pesquisas com agentes de impacto na produção de suínos e aves sem colocar em risco o setor produtivo. Em 2011, passou por nova ampliação, totalizando 1.775m2 de área.

A atual estrutura do laboratório possibilita o atendimento das Normas de Biossegurança e das Normas de Boas Práticas de Laboratório, sendo caracterizado como um laboratório de biossegurança nível 2 (NB2).

O LSGA está subordinado a Chefia Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento e contempla as áreas de: Produção de Aves e Ovos SPF (Livre de Patógenos Específicos); Produção de Suínos SPF; Necropsia; Isolamento; Biotério, Laboratórios de Sanidade e Genética Animal e escritórios de pesquisa.

Atividades

As atividades do LSGA abrangem a realização de ensaios nas áreas de

  • virologia
  • bacteriologia
  • parasitologia
  • histopatologia
  • reprodução
  • genética molecular

Os trabalhos laboratoriais estão diretamente relacionados aos projetos de pesquisa e seus respectivos planos de ação.

Paralelo às pesquisas, o laboratório dá suporte as granjas da Embrapa Suínos e Aves, tanto na prestação de serviços de diagnóstico como na monitoria do rebanho. Anualmente, são realizadas, em média, 55 mil análises laboratóriais.

Com o objetivo de potencializar as atividades desenvolvidas no LSGA a Comissão de Análise e Melhoria de Processos (AMP) vem desenvolvendo suas atividades desde 2002, onde se propõe a identificar, priorizar e buscar soluções para os problemas do processo.

Campos Experimentais

Os Campos Experimentais da Embrapa Suínos e Aves têm por objetivo a produção e manutenção de animais para instalação de experimentos de pesquisa e são compostos por quatro unidades distintas:
 
  • Campo Experimental de Suínos (CES), inclui a Unidade Demonstrativa e a Estação de Tratamento de Dejetos Suínos, em um total de 19 instalações
  • Núcleo de Conservação Genética de Suínos (NCGS), com 10 instalações
  • Núcleo de Conservação Genética de Aves (NCGA), com 12 instalações
  • Unidade Experimental de Aves (UEA), com 14 instalações

Fábrica de rações

 
Desde 1986, a Fábrica de Rações da Unidade vem produzindo rações para atender à demanda interna com rações experimentais e manutenção do plantel de suínos e aves.
 
Com possibilidade de produzir ração peletizada e farelada, prioriza a produção de rações experimentais com misturadores em forma de "Y" com capacidade de 50 Kg e 100 Kg, verticais com capacidade de mistura de 250 Kg, 500 Kg e 1.000 Kg e horizontais automatizados com capacidade de 250 Kg e 500 Kg.
 
A fábrica tem 1.225 m2 de área física e produz uma média anual de 2 mil toneladas de rações.