Convivência com a Seca

A convivência com a seca é um importante ponto de atuação da Embrapa, principalmente no que se refere à ocorrência na região do Semiárido brasileiro. As pesquisas relacionadas a esta temática estão agrupadas dentro da empresa no “Portfólio de Convivência com a Seca no Semiárido”, abrangendo trabalhos nos municípios brasileiros que estão dentro do ambiente semiárido, região produtiva mais afetada pela ocorrência de secas.

A seca é um fenômeno climático natural que causa impactos negativos especialmente sobre os sistemas de produção agropecuários e a vida das populações que habitam os 1.262 municípios da região semiárida do nordeste brasileiro. Historicamente, o alívio dos efeitos da seca no Semiárido se caracterizou por medidas emergenciais aplicadas a partir da ocorrência desse evento. Viabilizar ações voltadas para o gerenciamento do risco de ocorrência das secas, visando a redução dos seus impactos social e econômico, são, dessa forma, uma ferramenta importante para o desenvolvimento regional.

Ao longo de mais de quarenta anos, a Embrapa tem desenvolvido, adaptado e divulgado uma série de tecnologias de grande utilidade para promover o alívio e a convivência com a seca no Semiárido brasileiro, como, por exemplo, as cisternas rurais, os barreiros para “irrigação de salvação”, as barragens subterrâneas, os sistemas de captação de água da chuva in situ, a agricultura biossalina, as práticas de manejo para aumento da umidade do solo, a pequena irrigação com fontes alternativas de água e o uso de forrageiras adaptadas à Caatinga.

Embora essas tecnologias tenham alto potencial de promoverem a inovação, principalmente no Semiárido, sua adoção pelos produtores ainda precisa ser ampliada. Além disso, as estratégias e as políticas públicas de “convivência com a seca” devem estar alinhadas com tecnologias apropriadas dentro de uma lógica de desenvolvimento territorial integrada com conservação dos recursos naturais e apoiando-se nas suas potencialidades para, em última análise, garantir uma produção sustentável, melhorar a qualidade de vida da população rural e promover a fixação das pessoas no campo.

Adicionalmente, a convivência com a seca demanda um sistema eficiente de monitoramento e previsão de ocorrência de eventos severos, a fim de emitir alertas precisos para dar condições aos produtores e agentes públicos de se planejarem adequadamente para que sofram o mínimo de consequências negativas.

Além disso, sob a perspectiva das mudanças climáticas, as tecnologias de convivência com a seca trabalhadas pela Embrapa no Semiárido são estratégicas, uma vez que podem ser adaptadas para uso em outras regiões do país, onde o cenário de restrição hídrica pode se intensificar no futuro.

Portanto, o objetivo das ações de pesquisa da Embrapa voltadas à Convivência com a Seca é contribuir para melhoria das condições de produção e de qualidade de vida em áreas de escassez hídrica, por meio da geração de conhecimentos e tecnologias, viabilizando soluções inovadoras para o monitoramento, o alívio e a mitigação dos efeitos da seca sobre a produtividade e sustentabilidade da agropecuária, valorizando e conservando as potencialidades dos recursos naturais disponíveis no Semiárido brasileiro.