O contexto e o papel da pesquisa agropecuária

Nas últimas décadas houve uma intensificação das pesquisas sobre a relação entre alimentos, nutrição e saúde. Além da redução do risco de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, existem hoje evidências do papel da dieta na melhoria do desempenho mental e físico, no retardamento do processo de envelhecimento, no fortalecimento do sistema imunológico, entre outros.

É notável também a persistência de doenças relacionadas à carência nutricional e à dificuldade de acesso a alimentos em regiões de pobreza extrema. O custo estimado do impacto da má nutrição na economia mundial alcança 5% do PIB global, equivalente a 3,5 trilhões de dólares por ano, ou U$ 500/pessoa/ano (FAO, 2013).

Os avanços da tecnologia agropecuária e da ciência e tecnologia de alimentos são meios de proporcionar melhor qualidade de vida para a população, reduzir custos com doenças associadas à má alimentação e atender à crescente demanda dos consumidores por alimentos saudáveis, práticos e sensorialmente atraentes.

Nesse contexto, torna-se importante o desenvolvimento de tecnologias voltadas à oferta de alimentos que, por sua composição nutricional e/ou pela presença de compostos bioativos, sejam capazes de contribuir para o suprimento de deficiências nutricionais e para a prevenção de doenças e manutenção da saúde da população.

Alimentos funcionais

Os alimentos funcionais são considerados uma das principais tendências mundiais da alimentação, constituindo hoje o segmento de mais rápido crescimento da indústria de alimentos. Tais alimentos promovem a saúde e bem estar dos consumidores por meio de efeitos bioquímicos e fisiológicos que vão além das funções nutricionais básicas. Representam uma nova fronteira para as ciências que estudam a relação entre alimentos, nutrição e saúde e se apresentam como oportunidades para inovação tecnológica com impacto potencial relevante sobre a saúde da população.

No âmbito de uma economia globalizada, que se caracteriza pela fragmentação das fronteiras entre mercados e pelo intenso fluxo de informação sobre a forma de obtenção dos alimentos, não basta garantir os atributos de segurança e sustentabilidade na produção de alimentos. Em adição a todas as providências para essa garantia, é essencial assegurar as bases técnicas para dotar os alimentos de características nutricionais, funcionais e promotoras da saúde.

A estratégia da Embrapa

Projetos e ações para o avanço do conhecimento na relação entre alimentos, nutrição e saúde vêm sendo realizados dentro da programação de pesquisa da Embrapa por diversas das suas Unidades. Agora, esses projetos estão sendo reunidos em um portfólio de pesquisa voltado especificamente ao tema – portfólio Alimentos, Nutrição e Saúde (AliNutriS). A ideia é, ainda, estimular a elaboração, proposição e implementação de novas propostas de pesquisa de forma integrada, convergente e complementar.

O foco do portfólio será promover o avanço do conhecimento e o desenvolvimento de tecnologias para a biofortificação de alimentos e a ampliação da oferta de alimentos funcionais, saudáveis, bem como de alimentos voltados para grupos da população com necessidades específicas (diabéticos, hipertensos, com alergias ou intolerâncias alimentares, entre muitos outros), explorando de forma sistemática as conexões existentes entre alimentos, nutrição e a saúde.

Propósitos da Embrapa

- ampliar a base científica e tecnológica da Embrapa e sua respectiva utilização, visando atender a demandas de consumidores, produtores, indústrias e órgãos de governo em estratégias que tenham como foco a obtenção e disponibilização de alimentos com qualidades nutricional e funcional diferenciadas e cientificamente comprovadas;

- contribuir para a criação de novos negócios na agricultura e na indústria de alimentos e para a ampliação e fortalecimento dos já existentes, promovendo nichos de mercado para produtos e ingredientes alimentares com diferencial nutricional e funcional;

Compostos alvo

Nove grupos de compostos alvo com impacto nutricional ou na saúde humana estão no foco dos pesquisadores. Esses compostos alvo foram agrupados em duas categorias, conforme apresentado no Quadro 1. O os componentes de pesquisa e transferência de tecnologia estão apresentados no Quadro 2.

Quadro 1– Compostos alvo a serem investigados no desenvolvimento de ingredientes e alimentos com incremento nutricional e/ou impacto na saúde humana.

Quadro 2- Componentes de pesquisa e transferência de tecnologia considerados

Impactos Esperados

Espera-se a melhoria da qualidade nutricional, funcional e de saúde dos alimentos, tanto no âmbito do setor primário quanto da agroindústria, ao contribuir para um maior aporte de nutrientes, dieta diversificada e qualidade do produto, além de contribuir para a comprovação das alegações de saúde.

O apoio à utilização de indicadores de avaliação de impacto nutricional, essenciais para promover a oferta dos produtos desenvolvidos também está nas expectativas dos pesquisadores. Assim como benefícios para vários segmentos da cadeia produtiva - produção, indústria, comércio, consumidor final - com perspectivas de agregação de valor, manutenção e/ou abertura de novos mercados, refletindo em aumento de renda e qualidade de vida.

Pesquisadores gestores do portfólio de pesquisa da Embrapa

"Alimentos, Nutrição e Saúde"

Carlos Bloch Junior – Embrapa Recursos Genéticos
Edy Sousa de Brito (presidente) – Embrapa Agroindústria Tropical
Karina Maria Olbrich dos Santos – Embrapa Agroindústria de Alimentos
Leonora Mansur Mattos – Embrapa Hortaliças
Priscila Zaczuk Bassinello (secretária executiva) – Embrapa Arroz e Feijão
Virgínia Martins da Matta – Embrapa Agroindústria de Alimentos