Notícias

24/10/17 |   Gestão ambiental e territorial

Blairo Maggi conhece trabalhos de inteligência e gestão territorial

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Graziella Galinari/Embrapa

Graziella Galinari/Embrapa - Miranda apresenta mapa de atribuição de terras no Brasil para Maggi

Miranda apresenta mapa de atribuição de terras no Brasil para Maggi

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi,visitou, nesta segunda-feira (23), a Embrapa Monitoramento por Satélite, em Campinas/SP. Na bagagem de volta para Brasília, o ministro e a equipe levaram mais de 15 mapas e uma série de documentos inéditos, com informações organizadas espacialmente sobre preservação ambiental nas áreas rurais e logística para escoamento das safras agrícolas, gerados pela Unidade.

Na primeira pauta do dia, o chefe-geral, Evaristo de Miranda, apresentou o trabalho de processamento dos dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que revelou o quanto os agricultores preservam o meio ambiente. Dentro de suas propriedades, eles mantêm 20,5% do território brasileiro dedicado à preservação da vegetação nativa. É mais do que se tem nas unidades de conservação.

O Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (GITE) mostrou ao ministro como foi feito o trabalho e o grau de confiança dos dados, já que a imagens de satélite permitem observar as áreas com detalhe de cinco metros. As análises dessas informações revelaram que, em São Paulo, por exemplo, os produtores conservam 14% do no bioma cerrado no estado, dentro dos sítios e fazendas - muito mais do que é protegido nas unidades de conservação, que mantém apenas 0,8%. “A salvação do cerrado paulista está na lavoura, nos agricultores”, resumiu Miranda.

Maggi também conheceu um sistema desenvolvido pela Unidade para o Ministério do Desenvolvimento Social. Ele permite visualizar, em mapas e com números, o alcance de programas sociais como o Cisternas, Fomentos, Aquisição de Alimentos, Banco de Sementes e Cestas de Alimentos. Também foi apresentado a ele o GeoPAC, que mantém cadastradas 53 mil obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, permitindo o monitoramento e geração de estatísticas.

Falando aos empregados da Embrapa Monitoramento por Satélite, o ministro Maggi destacou a importância das informações qualificadas geradas para a economia do País. “A presença da Embrapa nessa discussão dá ao Brasil a legitimidade de sair em qualquer lugar do mundo e falar o seguinte: nós somos um país agrícola e respeitamos o meio ambiente, temos 66% de área preservada”, enfatizou.

O diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Celso Moretti, acompanhou a visita e avaliou que a Empresa pode auxiliar os gestores públicos. “A visita do ministro Blairo à Embrapa Monitoramento por Satélite é uma excelente oportunidade para que os tomadores de decisão do nosso País possam conhecer, de perto e in loco, as contribuições que a Embrapa vem dando para a agricultura brasileira”, analisou. Além de Maggi, a comitiva do ministro da Agricultura foi composta pelo chefe de Gabinete, Coaraci Castilho, o Secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e superintendente em São Paulo, Francisco Jardim.

Vivian Chies (MTb - 42.643)
Embrapa Monitoramento por Satélite

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens