Publicações

Distribuição espacial do fator topográfico da Rusle na Bacia do Alto Paraguai.

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Autoria: GALDINO, S.

Resumo: A intensificação dos processos erosivos nas áreas de planalto, onde nascem os rios da Bacia do Alto Paraguai (BAP), constitui grave impacto ambiental e socioeconômico para o Pantanal brasileiro. Os fatores associados ao comprimento da encosta (L) e à declividade do terreno (S) são preponderantes no modelo de predição de perda de solo Revised Universal Soil Loss Equation (Rusle). O objetivo deste estudo foi avaliar a distribuição espaçotemporal dos fatores L e S da Rusle na BAP usando o software LS-Tool. Para fazer os mapeamentos foi usado o modelo digital de elevação (MDE) gerado pela missão Shuttle Radar Topography Mission Global 1. O tamanho das células do MDE foi de aproximadamente 30 m. A média das estimativas dos fatores L e S na BAP foram, respectivamente, de 1,2433 e 0,7539. O produto dos fatores L e S, denominado de fator topográfico da Rusle, na BAP variou de 0,0452 a 156,46, com média de 1,2749. A média do fator topográfico estimado para as terras localizadas nos planaltos foi cerca de seis vezes a média do fator topográfico estimado para as terras localizadas no Pantanal. As áreas da BAP com elevados valores do fator topográfico, associadas à ocorrência de chuvas mais erosivas e solos mais susceptíveis a erosão apresentam maior potencial natural para a erosão hídrica. O uso dessas terras deve ser criterioso para minimizar a erosão do solo e os impactos no Pantanal.

Ano de publicação: 2015

Tipo de publicação: Folhetos