Pular para o conteúdo

Apresentação

O Cadastro Vitícola é um banco de dados que contém informações anuais e específicas sobre identificação da propriedade e produtores, descrição dos parreirais, variedades, situação dos vinhedos, destino das uvas produzidas de cada safra e outras informações complementares e foi instituído para gerar informações básicas para o os sistemas oficiais de controle da produção de uvas e seus derivados. Está sendo realizado apenas no Rio Grande do Sul, estado que concentra a maior parte da produção de uva do Brasil. De competência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, segundo a legislação, os viticultores devem declarar anualmente as áreas cultivadas, a quantidade da safra por variedade e a uva destinada ao consumo in natura (Lei nº 7.678 de 08.11.88).

O Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul foi iniciado em 1995 pela Embrapa Uva e Vinho em parceria com diversas instituições. Alinhado com as diretrizes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, atualmente o cadastro vitícola é coordenado pela Embrapa Uva e Vinho com o aporte de recursos do Ibravin/Fundovitis e da Embrapa.

É um instrumento indispensável para dar suporte à fiscalização de vinhos e demais produtos vitícolas cujos dados são estratégicos para produtores, lideranças, empresários, acadêmicos, professores, pesquisadores, jornalistas, poder judiciário, Câmaras Setoriais e demais envolvidos nesta cadeia produtiva, para:

  • conhecer a área plantada com vinhedo, por variedade, nos diferentes municípios;
  • realizar estudos para indicar o nível de competitividade da viticultura do RS;
  • propor, a partir do conhecimento da realidade, políticas públicas que habilitem a vitivinicultura do RS a ser competitiva;
  • monitorar a situação da vitivinicultura como subsídio estratégico para o Setor;
  • ter elementos que permitam orientar a viticultura para a melhoria qualitativa da matéria-prima;
  • indicar variedades adequadas para substituição ou ampliação de áreas de plantio, de acordo com a demanda do mercado;
  • subsidiar estudos diversos em especial a formatação e desenvolvimento das indicações geográficas.

As informações geradas pelo cadastro vitícola têm sido utilizadas para controle da qualidade dos produtos elaborados (fiscalização), para o acesso a políticas públicas (crédito rural, seguro agrícola, programa de escoamento da produção) e para o desenvolvimento de Indicações Geográficas.

As edições do Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul apresentam informações detalhadas de área e produção de uvas por cultivar, por município e por região e permitem, aos usuários, a seleção de diversos conteúdos.