Cultivares de Uva e Porta-Enxertos de Alta Sanidade

Voltar

Porta-Enxerto | Paulsen 1103

Paulsen 1103

Descrição:
É uma cultivar de porta enxerto, resultante do cruzamento de Vitis berlandieri x Vitis rupestris

Origem:
Federico Paulsen realizou o cruzamento em 1896, no Vivaio Governativo di Viti Americane, Itália. As primeiras plantações experimentais para validação deste porta-enxerto foram estabelecidas na Sicília. Blocos de planta-mãe foram estabelecidas na  França depois de 1960. Em seguida, o material original passou por sistemática seleção clonal dos quais resultaram 12 genótipos diferentes, que mais tarde foram registrados na lista nacional de variedades francesas. Seu processo de introdução na Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves / RS) deu-se em 1979, sendo registrado no Banco Ativo de Germoplasma da Videira. Posteriormente, a partir de estacas vegetativas, plantas foram formadas e submetidas ao tratamento térmico in vivo para remoção viral durante três ciclos sequenciais de calor (totalizando 286 dias). Posteriormente a este processo, secções vegetais foram retiradas e estabelecidas in vitro, sendo realizada a regeneração de plantas a partir da extração de meristemas apicais por cultura de tecidos. Estas novas plantas, foram indexadas continuamente por métodos biológicos e moleculares para comprovação de sua sanidade em relação aos principais vírus que infectam a videira, especialmente: os vírus do complexo do enrolamento-da-folha; os vírus do complexo do intumescimento-dos-ramos; o vírus da degenerência-da-videira; o vírus da mancha-das-nervuras e o vírus da caneluras-do-tronco. Em 2012, o material de sanidade superior foi introduzido em Unidade de Validação de Termonúmeros, na Embrapa Uva e Vinho em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Em 2013, depois de confirmada sua normalidade agronômica, identidade genética e sanidade viral; foi solicitada sua inserção no Registro Nacional de Cultivares/MAPA, tendo a Embrapa como uma de suas mantenedoras. Em 2014, ocorreu o primeiro edital de comercialização do material vegetal para constituição de jardins clonais em viveiristas licenciados pela Embrapa

Principais Características:
Efeito na copa: Vigor: aumenta; Maturação: atrasa
Características Biológicas: Ciclo vegetativo: precoce; Enraizamento: Alto
Características Morfológicas: Folha adulta: pequenas, reniformes, inteira, coloração verde médio, lâmina foliar inferior glabra com fraca intensidade de pêlos eretos sobre as nervuras; nervura purpura; limbo involuto com fraco empolamento; dentes curtos, largos e convexos. Flores: Masculinas. Ramos: arrocheados, semi-pubecentes, com nós arrocheados, internós longos, brotos pequenos e aguçados
Resistência à pragas e doenças: à Antracnose: baixa; ao Míldio: alta; à Fusariose: alta; à Filoxera nas raízes: alta; aos Nematóides: baixa
Região de adaptação: RS, SC, PR, SP, MG, BA e PE
Tolerância a tipos de solos: Solos secos: Alta; Solos salinos: Moderada; Preferência: solos argilosos

Ano de lançamento da tecnologia: 2014

Mais informações e onde comprar (viveiristas licenciados): Processo de Limpeza em Porta Enxertos de Domínio Público para Obtenção de Qualidade Fitossanitária Superior