Cultivares de Uva e Porta-Enxertos de Alta Sanidade

Voltar

Porta-Enxerto | SO4

SO4

Descrição:
É uma cultivar de porta enxerto, resultante do cruzamento de Vitis berlandieri x Vitis riparia

Origem:
Zsigmond Teleki, viticultor húngaro, foi para a França em 1896 e comprou 10 kg de sementes de "Berlandieri" para reconstruir seus vinhedos. Destas sementes, ele obteve cerca de 40 mil mudas, porém, percebeu-se que houve uma mistura de diferentes variedades. Teleki selecionou e classificou 10 sub-grupos morfologicamente distintos dentre os materiais. Os sub-grupos 4, 5, 6, 7, 8 e 9 mostraram características de cruzamento entre Berlandieri com Riparia. Dentre estes, em 1941, foi selecionado pela Escola de Viticultura em Oppenheim, Alemanha, o sub-grupo Teleki 4ª. este, foi denominando SO4 (Seleção Oppenheim # 4). Posteriormente, esta seleção foi caracterizada na Alemanha e Nova Zelândia. Atualmente, existem 78 clones de SO4 reconhecidos na França. Seu processo de introdução na Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves / RS), deu-se em 1983, sendo registrado no Banco Ativo de Germoplasma da Videira. Posteriormente, a partir de estacas vegetativas, plantas foram formadas e submetidas ao tratamento térmico in vivo para remoção viral durante três ciclos sequenciais de calor (totalizando 281 dias). Posteriormente a este processo, secções vegetais foram retiradas e estabelecidas in vitro, sendo realizada a regeneração de plantas a partir da extração de meristemas apicais por cultura de tecidos. Estas novas plantas, foram indexadas continuamente por métodos biológicos e moleculares para comprovação de sua sanidade em relação aos principais vírus que infectam a videira, especialmente: os vírus do complexo do enrolamento-da-folha; os vírus do complexo do intumescimento-dos-ramos; o vírus da degenerência-da-videira; o vírus da mancha-das-nervuras e o vírus da caneluras-do-tronco. Em 2007, o material de sanidade superior foi introduzido em Unidade de Validação de Termonúmeros, na Embrapa Uva e Vinho em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Em 2013, depois de confirmada sua normalidade agronômica, identidade genética e sanidade viral; foi solicitada sua inserção no Registro Nacional de Cultivares/MAPA, tendo a Embrapa como uma de suas mantenedoras. Em 2014, ocorreu o primeiro edital de comercialização do material vegetal para constituição de jardins clonais em viveiristas licenciados pela Embrapa

Principais Características:
Efeito na copa: Vigor: aumenta; Maturação: baixo efeito
Características Biológicas: Ciclo vegetativo: precoce; Emissão de raízes: alta
Características Morfológicas: Folha adulta: inteira, limbo planto, um pouco ondulado, pubescente na face inferior, principalmente sobre as nervuras; seio peciolar em U, aberto. Flores: grandes, masculinas, estéreis. Ramos: vermelhos, pubescente sobre os nós, extremidade lanosa, esbranquiçada, com bordos rosados, pendida; folhas jovens verde - cobreadas;  Sistema radicular: radial, semi- pivotante
Resistência à pragas e doenças: à Antracnose: baixa; ao Míldio: alta; à Fusariose: muito baixa; à Filoxera nas raízes: moderada a alta; aos Nematóides: moderada
Região de adaptação: RS, SC, PR, SP, MG, BA e PE
Tolerância a tipos de solos: Solos secos: baixa; TolerâncSolos salinos: moderada; Solos ácidos: moderada

Ano de lançamento da tecnologia: 2014

Mais informações e onde comprar (viveiristas licenciados): Processo de Limpeza em Porta Enxertos de Domínio Público para Obtenção de Qualidade Fitossanitária Superior