BIOMAS: AMAZÔNIA

Imagem do mapa bioma $row->taxonomy_term_data_name

É o maior bioma brasileiro e ocupa praticamente um terço da área do País, caracteriza-se por ser composto de diversos ecossistemas, tais como: floresta de terra firme, floresta de várzea, igapó, savana, campinarana, campos naturais, entre outros. Os solos de terra firme são fisicamente adequados para uso agrícola, com limitações na fertilidade natural. Historicamente, o processo de ocupação humana na região amazônica, particularmente em ecossistema de floresta tropical úmida, tem estado atrelado à exploração de produtos não-madeireiros e madeireiros, exploração agrícola e a criação de bovinos. O sistema de produção predominante na Amazônia é a agricultura de derrubada e queima, para implantar culturas anuais (mandioca, arroz, feijão caupi e milho), onde as capoeiras são a fase de pousio da vegetação. Outro sistema a ser considerado é a pecuária, que é usado intensivamente pelos grandes produtores e agricultores familiares. A atividade pecuária na região Amazônica data do século XVII, no entanto, na década de 1960 houve grande expansão dessa atividade. O cultivo de grãos ocorreu com a introdução da agricultura mecanizada, com destaque para as culturas de arroz, milho, feijão caupi e soja. O potencial para o cultivo de grãos está em áreas de cerrado da Amazônia Legal, destacadamente, no Mato Grosso, Tocantins e sul do Maranhão. Polos de plantio de soja nas regiões de Paragominas, Santarém e Redenção, todas no Estado do Pará, refletem políticas estaduais de incentivo a plantios comerciais fora das áreas de expansão do Cerrado.