Voltar

Governo institui Comitê da Plataforma ABC para monitorar a emissão de gases do efeito estufa

Foto: Divulgação ILPF

Divulgação ILPF - Uma das tecnologias previstas no Plano ABC: a Integração Produtiva Lavoura - Pecuária - Floresta - ILPF

Uma das tecnologias previstas no Plano ABC: a Integração Produtiva Lavoura - Pecuária - Floresta - ILPF

O governo instituiu em novembro o Comitê Diretor da Plataforma ABC, que tem como missão principal acompanhar e promover as ações de monitoramento da redução de emissões de gases do efeito estufa (GEE) e a dinâmica do estoque de carbono na agropecuária. O Comitê vai propor e coordenar ações que garantam a o andamento das políticas de implantação e manutenção da plataforma, além de apoiar a captação de recursos  para garantir o adequado funcionamento e operacionalização do monitoramento do Plano de Agricultura de Baixo Carbono – (Plano ABC).

O Comitê ainda será o encarregado de analisar e aprovar a metodologia e plano de monitoramento,  investimentos e orçamento geral da Plataforma ABC.

Segundo o texto, integram o Comitê representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Embrapa, do Ministério do Meio Ambiente (MMA), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), além de integrantes da sociedade civil e do setor privado, bem como do Banco do Brasil e do BNDES.

Com vigência de 2010 a 2020, o governo estima que serão necessários investimentos de R$ 197 bilhões para o Plano ABC. Contudo, um estudo do observatório ABC, “Impactos Econômicos e Ambientais do Plano ABC”, evidenciou que os custos para implementação das metas do Plano ABC são menores do que havia previsto o governo.

O estudo, partindo de uma modelagem econômica e ambiental, reproduzindo os efeitos da efetivação das metas, foi capaz de demonstrar que a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradadas teria o custo determinado entre R$ 26 e R$ 31,3 bilhões – enquanto o governo previa um investimento de R$ 43,9 bilhões.  Para a expansão do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) em 4 milhões de hectares, o custo apontado pelo estudo seria entre R$ 7 e R$ 7,8 bilhões contra os R$ 51 bilhões orçados pelo governo anteriormente.

A Plataforma
A Plataforma Multi-institucional de Monitoramento das Reduções de Emissões de Gases de Efeito Estufa possui a sua estrutura física situada nas instalações da Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna (SP), e o monitoramento da redução das emissões de GEE na agropecuária brasileira e a dinâmica de estoque de carbono no solo é executado por meio da implantação de tecnologias de produção referendadas.

As ações da Plataforma ABC estão diretamente ligadas aos compromissos assumidos pelo Brasil de apoiar a   agricultura de baixo carbono, parte do esforço do país em evitar o aquecimento global do planeta. Além disso, poderá demonstrar em números a sustentabilidade da agropecuária brasileira, imprescindível  hoje e no futuro na alimentação da população mundial. 

A plataforma possui um papel estratégico na avaliação do desempenho geral do Plano ABC, por meio da quantificação da adoção das tecnologias de baixa emissão de carbono pelos agricultores e também por apoiar ações de transparência das metas pré e pós NDCs, assumidas oficialmente pelo Brasil no ano passado.  Representa ainda uma comprovação do compromisso da Embrapa em relação à sustentabilidade  e ao enfretamento das mudanças climáticas, pois envolve  diretamente o conhecimento técnico-científico da Empresa, envolvida no desenvolvimento das tecnologias ABC e na implementação da política pública do Plano ABC.

Marcos Vicente (MTbE 19.027/MG)
Embrapa Meio Ambiente

Telefone: (19) 3311 2611

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/