22/06/17 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Ciência para a vida - notas da edição nº 16

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Qualidade da carne em página especial

O Brasil é um dos mais importantes produtores de proteína animal no mundo, resultado de décadas de investimentos em tecnologia que elevaram a produtividade e a qualidade da carne brasileira, fazendo com que ela se tornasse competitiva e chegasse ao mercado de mais de 150 países. Com o objetivo de disponibilizar para a sociedade parte desse conhecimento técnico-científico, num momento em que denúncias de fraudes colocaram em xeque os padrões de excelência alcançados por esse produto brasileiro, é que a Embrapa lançou em março uma página especial sobre a Qualidade da Carne no seu Portal. A página foi estruturada a partir de informações sobre  as cadeias produtivas de carne bovina, suína e de aves, agregando tecnologias e publicações voltadas para as diversas fases do sistema de produção: genética, nutrição, boas práticas de criação, sanidade, reprodução, processamento, transporte, abate, rastreabilidade e segurança do alimento. • 
— Por Robinson Cipriano (para a revista XXI Ciência para a vida)

 

Frutos limpos sem uso de água

Equipamento móvel e compacto que não usa água na limpeza vai ajudar produtores a classificar tomates e outros frutos e hortaliças, no próprio campo, e contribuir para a redução de perdas no pós-colheita. Os trabalhos que deram origem ao equipamento foram coordenados pelo pesquisador da Embrapa Instrumentação Marcos David Ferreira. O protótipo, desenvolvido em formato vertical, usa um sistema de escova de três vias em helicoide, que aumenta a eficiência de limpeza e permite classificação mais uniforme e menor incidência de danos físicos ao produto. Os métodos de seleção em máquinas estáticas convencionais podem provocar quase três vezes mais lesões. Redução do tempo para chegar aos consumidores e agregação de valor ao produto são outras vantagens apontadas pelo pesquisador. A economia de água, recurso não empregado no processo, é significativa, pois a limpeza convencional do tomate, por exemplo, pode consumir até 500 m3 de água por mês em algumas unidades de beneficiamento. Licenciado para a empresa paulista MVisia (http://www.mvisia.com.br), o equipamento representa uma alternativa aos agricultores que têm pouco acesso à tecnologia automatizada. A empresa pretende disponibilizá-lo ao mercado até o fim de junho. • 
— Por Joana Silva (Agência Embrapa de Notícias)

Navegue
Máquina compacta voltada a pequenos produtores limpa tomate sem uso de água  

 

Biossegurança em pesquisa animal

O Laboratório Multiusuário de Biossegurança para a Pecuária (Biopec), instalado na Embrapa Gado de Corte, é a primeira estrutura do Brasil de alto nível de biossegurança em pesquisa animal e vai aumentar a capacidade do País de garantir a qualidade sanitária dos rebanhos. É também o mais moderno laboratório de pesquisa em segurança e qualidade da carne da América Latina. Seu conjunto de instalações possibilita a análise de bovinos, aves, suínos e de outras cadeias produtivas de carne.  Com o Biopec, o Brasil muda de estágio no que diz respeito ao desenvolvimento de pesquisas em pecuária. Será possível realizar, em um mesmo local, estudos relacionados a agentes de alto risco, como vírus da febre aftosa, da influenza aviária, da influenza suína, raiva, brucelose, tuberculose. Outra novidade é a possibilidade de pesquisar em um único laboratório bactérias causadoras de tuberculose bovina, botulismo, anthrax,  salmonelose e de intoxicações alimentares. • 
— Por Kadijah Suleiman (Notícias, portal Embrapa)

Navegue
Embrapa inaugura o mais moderno laboratório de segurança da carne da América Latina

 

Cálculo simples de custos da pecuária 

Recém-lançado pela Embrapa, o sistema CUSTObov permite aos pecuaristas calcular o custo de produção da pecuária de corte e as margens que refletem o desempenho econômico da propriedade. O sistema  fornece ao produtor análises que facilitam o controle financeiro de seu negócio. Desenvolvida no formato de planilha eletrônica (MS Excel), a ferramenta aceita reprodução sem limites, podendo-se criar arquivos que representem várias fazendas ou diferentes exercícios para uma mesma propriedade. De acordo com seu idealizador, o pesquisador da Embrapa Gado de Corte Fernando Paim Costa, um grande número de produtores não tem na ponta do lápis os gastos para produzir uma arroba de boi ou um bezerro e todo o movimento financeiro envolvido. “E, mesmo que ele registre tudo, não existe uma ferramenta na qual possa inserir os dados”, diz. A pesquisadora Mariana Pereira, do mesmo centro de pesquisa, chama  atenção para o fato de que, embora o aplicativo seja primordialmente uma ferramenta de controle voltado a avaliar situações reais, também é possível usá-lo como auxílio nos processos de planejamento e tomada de decisões. O CUSTObov está disponível gratuitamente no site da Embrapa Gado de Corte. • 
 — Por Kadijah Suleiman (Agência Embrapa de Notícias)

Navegue
Ferramenta permite cálculo simples de custos da pecuária de corte

 

Caixas de pizza no reflorestamento

O uso de papelão – até mesmo caixas usadas de pizza − para controle do capim no coroamento (capina ao redor) de mudas em ações de reflorestamento pode auxiliar na reabilitação de áreas degradadas, com um custo até 50% menor em comparação aos métodos tradicionais. A técnica, desenvolvida por pesquisadores da Embrapa Agrobiologia, viabiliza também a adoção da recuperação de pastagens por pequenos produtores. O método já é utilizado em lavouras, mas é novidade em ações de reflorestamento com espécies nativas. Nos projetos de recomposição florestal, a maior parte dos custos está associada ao controle de plantas daninhas que colocam em risco a sobrevivência das mudas. Cerca de dois terços do investimento são destinados ao controle da chamada matocompetição. “Herbicidas, solução comum na agricultura, são pouco adotados no setor florestal com foco ambiental, porque são áreas próximas a recursos hídricos”, explica o pesquisador Alexander Resende. No caso da técnica, disco ou placa de papelão, nova ou reutilizada é usada para proteger a base das mudas de espécies florestais nos primeiros anos de plantio. A proteção faz com que as gramíneas, que competem com as espécies de reflorestamento, não se desenvolvam. Os experimentos no campo mostraram, ainda, que o papelão aumenta a taxa de sobrevivência das mudas. “De onze espécies avaliadas, nove apresentaram índice de sobrevivência igual ou superior a 80% quando coroadas com papelão, enquanto apenas três atingiram esse índice quando usada a enxada”, diz o pesquisador Guilherme Chaer. •  
— Por Ana Lucia Ferreira (Agência Embrapa de Notícias)

Navegue
Caixas de pizza podem baratear reflorestamento
 

Secretaria de Comunicação da Embrapa - Secom

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

chamadaxxi - edição 16